5 casos que configuram Assédio e Dano Moral no trabalho

Home/Trabalhista/5 casos que configuram Assédio e Dano Moral no trabalho

Nem sempre é fácil identificar e comprovar os casos de assédio ou dano moral que acontecem no mundo corporativo.

Neste texto, vamos ilustrar alguns casos de assédio moral e de dano moral que você pode estar passando sem saber dos seus direitos ou quais providências tomar.

Ofensas ou violações dos bens de ordem moral de uma pessoa caracterizam o assédio moral, que em muitos casos são representados por atos recorrentes que podem ser considerados como “brincadeiras” por parte dos agressores.

O dano moral é caracterizado pelas consequências dessas práticas recorrentes do assédio moral, impactando diretamente a honra, imagem e saúde física e mental da vítima.

Os dados são assustadores. Em 2015, uma pesquisa realizada pelo site Vagas.com, apontava que metade dos brasileiros afirmavam ter sofrido algum tipo de assédio em seu trabalho.

Recentemente, a plataforma Workana realizou a mesma pesquisa na América Latina, 50%  dos respondentes alegam já terem sofrido algum de discriminação e assédio no ambiente profissional e este número sobe para 74% quando o recorte é feito com o público feminino.

 

Veja alguns casos que caracterizam os tipos mais comuns de assédio ou dano moral:

 

Assédio vertical descendente: esse tipo de assédio é o mais comum e caracteriza-se por ser praticado por um trabalhador hierarquicamente superior ao empregado assediado.

  • Coagir funcionários a se expor de maneira vexatória em frente a equipe:

Certa vez, uma grande rede de supermercados obrigou o seu gerente a rebolar e entoar o grito de guerra nos inícios nos finais das reuniões. Quando o funcionário se recusava, ele era obrigado a rebolar e gritar sozinho na frente de todos.

  • Humilhar funcionários para que busquem metas:

Uma rede varejista brasileira pregou frases como “sou um bola murcha”, “rasgo dinheiro”, entre outras, em sua sala de reunião para identificar os perfis dos funcionários em seus encontros para acompanhamento de desempenho.

 

Assédio moral organizado: comum em empresas extremamente competitivas que estimulam seus funcionários a disputarem entre si e propagando o medo por meio de ameaças, mesmo que em menor grau.

  • Classificar funcionários publicamente, estimulando maior competitividade e medo:

Um banco classificou seus funcionários por cartazes com as cores vermelha, para quem não cumpria metas e verde para quem atingia as expectativas. Além disso, os funcionários classificados com as cores vermelhas ganhavam apelidos como “incompetentes” e “tartarugas”.

 

Assédio moal horizontal: ocorre entre funcionários que ocupam a mesma posição hierárquica dentro da empresa.

  • Incentivar que colegas humilhem seus pares por conta de desempenho:

Uma empresa organizava uma premiação para os piores resultados do mês, o Troféu Lanterna, permitindo que seus colegas utilizassem os títulos da premiação nos dias seguintes à ela.  

 

Assédio Moral Vertical Ascendente: embora seja o mais raro dos tipos, acontece quando um funcionário hierarquicamente inferior assedia seu superior.

  • Chantagem do funcionário quando tem acesso à informações sigilosas da empresa ou de seu superior:

Um funcionário tem acesso à informações sigilosas e usa, como chantagem, para conseguir benefícios para si, junto ao seu superior ou a outras áreas da empresa.

Para que as situações como essas sejam revertidas, é importante que a vítima relate à área de Recursos Humanos e procure outros órgãos como o Sindicato da categoria e também pode registrar a ocorrência na Delegacia e na Superintendência do trabalho.

Ainda em dúvidas sobre como identificar casos de assédios e danos morais? Nossos especialistas estão prontos para atendê-lo.

Programa Discutindo a Reforma Trabalhista

By | 2017-11-22T13:07:59+00:00 14 de novembro de 2017|0 Comments

About the Author:

Drausio Rangel

Leave A Comment